Governadores não podem bater martelo sobre reforma, diz Rigotto

O governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), disse hoje que os governadores não terão condições de "bater o martelo" sobre as possíveis mudanças na proposta de reforma da Previdência. Ele explicou que os cinco representantes de todos os Estados que estarão reunidos amanhã com o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, terão antes que fazer consultas aos demais, porque ainda não existe nada de oficial. Rigotto fez a observação ao chegar a estação experimental do Instituto Riograndense do Arroz (Irga), onde está almoçando com empresários do setor. Ele recebeu dos produtores de arroz um pedido para interferir contra a redução da tarifa externa comum (TEC) do arroz cobrada pelo Mercosul.Ainda sobre a reforma da Previdência, Rigotto explicou que a partir das informações passadas pelo governo os governadores poderão fazer consultas e definir o caminho a seguir. Desde sexta-feira, o governador do Rio Grande do Sul tem defendido que precisaria antes conhecer as possíveis modificações da proposta para depois avaliar seu conteúdo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.