Governadora pede ajuda a Lula e Lobão

Roseana imprimirá perfil mais político à equipe, para atrair aliados

, O Estadao de S.Paulo

18 de abril de 2009 | 00h00

Em seu discurso de posse, a nova governadora do Maranhão, Roseana Sarney, pediu a ajuda do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do qual foi líder de governo no Senado até quinta-feira, e do ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, para governar. Roseana declarou que o momento é de "reconstrução" do Estado. Ao mesmo tempo, ao montar sua equipe, tenta atrair novos aliados.A governadora vai, por exemplo, proporcionar o ressurgimento político do ex-prefeito de São Luís Tadeu Palácio (PDT), que assumirá a Secretaria de Turismo. Palácio é do mesmo partido do governador cassado, Jackson Lago. Além disso, Roseana vai patrocinar a estreia de Paula Lobão em um cargo político. Mulher do senador Edson Lobão Filho e apresentadora de televisão, Paula assumirá a Secretaria da Mulher.Aliás, diferentemente do que ocorreu em suas outras duas administrações no Maranhão, Roseana imprimirá um perfil mais político a seu secretariado. Na lista dos primeiros 25 secretários e diretores de autarquias a ser confirmados na segunda-feira, cinco são deputados estaduais: Raimundo Cutrim (DEM), na Segurança Pública; César Pires (DEM), na Secretaria de Educação; Max Barros (DEM), na de Infraestrutura; Hélio Soares (PP), na de Minas e Energia, e o líder da oposição a Lago na Assembleia, Ricardo Murad (PMDB), na Secretaria de Saúde.A nova governadora fez duras críticas aos 28 meses de governo Jackson Lago e chegou a dizer que, no período, se envergonhava de ser maranhense. "Deus nunca me abandonou. Agradeço à Justiça e às pessoas que nunca me deixaram só. Agora, com responsabilidade, vamos reconstruir todo o Maranhão", discursou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.