Governador tucano se diz surpreso com apoio a Chinaglia

O governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima, afirmou nesta segunda-feira que foi surpreendido com a decisão do líder do PSDB na Câmara, Jutahy Magalhães Junior (PSDB-BA), de anunciar o apoio do partido à candidatura do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP) à presidência da Câmara. "É estranho um fato dessa envergadura ser tomada tal decisão sem consulta aos parlamentares da bancada", afirmou Cunha Lima após encontro com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, no qual pediu a inclusão de cinco projetos do Estado no PPI, no valor de R$ 600 milhões. Segundo Cunha Lima, nenhum dos três deputados tucanos da Paraíba foi consultado sobre o apoio, o que ocorreu, informou, em outros Estados.O governador informou que na terça-feira a bancada do PSDB na Câmara estará reunida em Brasília para discutir essa questão. Mesmo manifestando a sua simpatia pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), o governador tucano disse que não tem voto porque não é deputado, e que a orientação a sua bancada seria de seguir a decisão da maioria. "Se a maioria for Arlindo, os que forem minoria devem seguir a maioria", defendeu.Para ele, o embate pela presidência da Câmara está posto apenas entre os candidatos Chinaglia e Aldo. Ele não vê chances de uma candidatura alternativa prosperar.Cássio Cunha Lima informou ainda que conversou com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), sobre a decisão de Jutahy. Conforme seu relato, Serra lhe disse que não tinha envolvimento na decisão. Segundo Cássio, Serra disse que "a imprensa estava dizendo que era com ele, mas não é". E pediu a Serra que se for feita alguma composição com assembléias legislativas quer ser incluído na negociação.

Agencia Estado,

15 de janeiro de 2007 | 18h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.