ED FERREIRA/ESTADAO
ED FERREIRA/ESTADAO

Governador tucano defende independência do PSDB em relação ao governo Temer

'É inegável que o número de descontentes com o governo aumentou', diz Beto Richa

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2017 | 15h43

O governador do Paraná Beto Richa (PSDB), uma das lideranças tucanas que esteve presente na noite desta segunda-feira em um encontro do partido em São Paulo, disse que a legenda “saiu como entrou da reunião” e não teria decidido nada concreto em relação ao desembarque ou permanência na base do governo Michel Temer.

“Eu sugeri que se convocasse a Executiva para que uma posição fosse tomada”, disse Richa. Apesar disso, o governador afirmou que, “na prática” o partido está agindo de forma independente nesse processo. “Nós fomos o único partido da base que não trocou nenhum membro da CCJ”. Richa acredita que dos 7 votos do partido na Comissão de Constituição e Justiça, 5 ou 6 seriam contrários ao presidente Temer. “Vai ser 6 x 1 ou  5 x 2”, afirmou.

Para Richa, a proporção de votos pela admissibilidade da denúncia contra Temer deve se repetir no plenário da Câmara. “É inegável que o número de descontentes com o governo aumentou. E a situação do governo deteriorou-se”, declara.  O governador repete o discurso de que o compromisso do PSDB seria com a retomada do crescimento e com a aprovação das reformas – e não com a manutenção do governo.

Sobre a postura do PSDB caso o presidente seja atingido por novas denúncias, Richa preferiu não se antecipar. “O importante é que a gente mantenha a linha de independência”, diz.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.