Governador recebe mutilados de Eldorado dos Carajás

O governador do Pará, Almir Gabriel (PSDB), após 16 dias de relutância, decidiu nesta segunda-feira à noite receber os mutilados sobreviventes do conflito de Eldorado dos Carajás, no qual 19 sem-terra foram mortos e outros 66 saíram feridos. Os 56 mutilados exigem assistência médica imediata e pagamento de pensão para os comprovadamente incapacitados para o trabalho no campo. O encontro foi realizado na residência do arcebispo de Belém, D. Vicente Zico, que na semana passada tentara intermediar uma reunião de Gabriel com os doentes, mas não obteve sucesso. Um forte aparato foi montado em frente à casa de D. Zico para impedir a entrada de jornalistas. Além de D. Zico, três bispos e três representantes dos mutilados, e o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no Pará, Raimundo Nonato Coelho de Souza, participaram da reunião. Os mutilados passaram 15 dias acampados na frente de Palácio dos Despachos, sede do governo estadual, mas de lá foram retirados pela Polícia Militar.Dispostos a serem recebidos, eles atravessaram a rua e permaneceram em frente ao Palácio, comendo e dormindo em barracas de lona.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.