Governador e vice de Rondônia têm salários reduzidos

Os salários do governador e do vice-governador de Rondônia sofreram nesta quinta-feira, 10, uma redução considerável. A pedido do governador Ivo Cassol, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu parte de uma lei estadual que garantia verba de representação para ele e seu vice.Com a decisão do STF, Cassol deixará de receber um salário de R$ 18 mil mensais. A partir de agora, ele ganhará apenas o subsídio, de R$ 12 mil, porque o STF determinou o corte do pagamento da verba de representação, que, no caso dele, era de 50%. Para o vice, essa verba era de 30%.Relator da ação no STF, o ministro Carlos Ayres Britto explicou que a Constituição Federal veda o pagamento de verbas de representação, que no passado eram pagas para autoridades com a justificativa de compensar gastos com o exercício do cargo, como viagens e vestimentas. "Mas isso se tornou uma fonte de abusos, ferindo de morte o princípio da moralidade administrativa", afirmou Britto. "O subsídio voltará a vigorar enxuto", comentou o ministro.Por considerar urgente o assunto, o STF julgou rapidamente o pedido de liminar e suspendeu o pagamento das verbas de representação. A ação de Ivo Cassol, contra a lei que é de janeiro, foi redigida na quinta-feira da semana passada, um dia antes da Operação Dominó, que prendeu uma série de autoridades de Rondônia suspeitas de envolvimento com desvio de recursos públicos. Na ação, não há nenhuma referência ao episódio. No julgamento desta quinta também não foram feitos comentários sobre a Operação Dominó.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.