Governador do PI repudia declaração do presidente da Philips

Zottolo, que aderiu ao 'Cansei', disse em entrevista que 'se o Piauí deixar de existir ninguém vai ficar chateado'

16 de agosto de 2007 | 19h28

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), divulgou nota nesta quinta-feira, 16, contra a declaração do presidente da Philips para a América Latina, Paulo Zottolo, sobre o Estado. Zottolo, que aderiu "Cansei" - movimento de entidades liderado pela OAB-SP -, afirmou em entrevista ao jornal Valor Econômico que "não se pode pensar que o país é um Piauí, no sentido de que tanto faz quanto tanto fez. Se o Piauí deixar de existir ninguém vai ficar chateado".   Leia íntegra da nota:   Lamentavelmente, o presidente da Philips para a América Latina, Paulo Zottolo, desconhece o Piauí. Tenho certeza de que o capitalismo afasta o homem do ser humano. Que Deus dê a ele a oportunidade de conhecer o Piauí e os homens e mulheres que aqui vivem.   Para se ter uma idéia, o Piauí tem 80% de suas florestas nativas preservadas e produz oxigênio para o Brasil e para o mundo. O Piauí, segundo estudos em andamento, tem uma das maiores bacias de gás e petróleo do país. É do Piauí a melhor escola do Brasil, eleita dois anos consecutivos pelo Enem. O Piauí tem a melhor produtividade de soja, mel e algodão do país.   Por coincidência, um piauiense, José Horácio de Freitas, foi diretor financeiro da Philips. Por ele e por todos os cidadãos piauienses deveríamos ter respeito. E faço a ele o convite para vir conhecer o Piauí", declarou o governador Wellington Dias.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.