Governador do Pará autoriza desocupação de 40 fazendas

O governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), autorizou a Polícia Militar a promover a desocupação de 40 fazendas invadidas por agricultores ligados ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e à Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri), principalmente nas regiões sul e sudeste do Estado e na área metropolitana de Belém. As duas entidades prometem resistir ao cumprimento das liminares de reintegração de posse expedidas pela Vara Agrária de Marabá. As áreas que serão desocupadas pelas tropas da PM a partir da próxima semana estão localizadas nas cidades de Marabá, Parauapebas, Curionópolis, Itupiranga, Eldorado dos Carajás e às margens da rodovia Belém-Brasília. Durante reunião com o secretário de Defesa Social, Manoel Santino, o ouvidor agrário Nacional, Gersino Filho, e a superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Marabá, Bernadete ten Caten, solicitaram e foram atendidos na suspensão do cumprimento dos mandados para a desocupação das fazendas Peruano e Cabaceiras, pertencentes à família Mutran, em Eldorado dos Carajás e Marabá. O Instituto de Terras do Pará (Iterpa) vai fazer uma nova vistoria nas duas fazendas. Ele alega que parte delas pertence ao Estado e não à União. A fazenda Peruano, situada a 14 quilômetros de Eldorado dos Carajás, está ocupada desde o começo de abril deste ano por cerca de três mil trabalhadores rurais sem-terra. A área onde foram montados os acampamentos é de aproximadamente quatro mil hectares. O MST garante que cerca de 60% da fazenda, que possui mais de doze mil hectares, foram "grilados" pelos Mutran. O Incra possui uma lista de áreas nas regiões sul e sudeste que estão sendo avaliadas pelo instituto. Nessas áreas serão assentadas as famílias que serão despejadas pela PM. Outras áreas já foram vistoriadas e são de interesse do Incra para fins de reforma agrária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.