Governador do PA corta ponto de policiais em greve

O governador do Pará, Almir Gabriel, mandou cortar o ponto dos policiais civis que entraram em greve há dois dias em 90 municípios. Os 2.652 policiais lotados em todo o Estado exigem 30% de reajuste salarial para voltar ao trabalho. "A hierarquia e a disciplina precisam ser mantidas. Dar aumento, agora, comprometeria o orçamento do Estado perante a Lei de Responsabilidade Fiscal", afirmou o governador.O Sindicato dos Delegados de Polícia e a Associação dos Peritos Policiais acusam o governo de penalizar a categoria com os salários mais baixos do País. Na semana passada, o governo concedeu reajuste de 16% à Polícia Militar, deixando de fora a Polícia Civil. O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia, Justiniano Alves Junior, disse que a categoria decidiu pela greve depois que ficou evidente o "menosprezo do governo do Estado pelo policiais civis". O chefe da Polícia, Lauriston Goés, afirmou no começo da tarde que não haverá qualquer tipo de negociação com os grevistas enquanto eles não voltarem ao trabalho.Góes pediu e obteve reforço da Polícia Militar para fazer o atendimento ao público em algumas das 32 delegacias e divisões da Polícia Civil que funcionam na região da Grande Belém. "A nossa ordem aos companheiros é evitar confronto com a PM dentro das delegacias. A resistência é pacífica", argumentou Justiniano Junior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.