Assessoria PT-CE/Divulgação
Assessoria PT-CE/Divulgação

Governador do Ceará defende inocência do ex-presidente Lula

Manifestantes contrários à condenação do petista se reuniram na Praça General Murilo Borges

Carmen Pompeu, especial, O Estado de S.Paulo

24 Janeiro 2018 | 11h46

FORTALEZA - O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), manifestou-se, por meio de seu perfil nas redes sociais. Ele disse acreditar na inocência de Lula. "Como governador, como cidadão brasileiro e defensor da democracia, espero que, acima de tudo, prevaleça a justiça. Que o julgamento se dê à luz dos fatos, verídicos e sem retoques, e não submetido a questões políticas ou partidárias. Pessoalmente, acredito na inocência de Lula. Conhecemos sua história, sua luta e seus princípios. Que a verdade prevaleça", escreveu Camilo Santana.

Manifestantes contrários à condenação do ex-presidente Lula se reúnem, esta manhã, na Praça General Murilo Borges, no Centro de Fortaleza, onde fica o fórum da Justiça Federal no Ceará. Para o presidente do PT-CE, De Assis Diniz, a intenção da julgamento é tirar Lula das eleições deste ano. Para o presidente da CUT-CE, Will Pereira, atos que estão sendo realizados em todo o Brasil em defesa do ex-presidente Lula representam a defesa da democracia. A chuva, que começou a cair na capital cearense, dispersou um pouco o público. Mesmo assim, a programação deve seguir na Praça até as 16 horas.

+++ Os personagens do julgamento de Lula

No interior do Ceará, militantes do MST bloquearam a BR-402, no trecho próximo à Itapipoca. Os manifestantes atearam fogo em pneus. Também está havendo protesto em favor de Lula nas cidades de Quixadá, Juazeiro do Norte, Limoeiro do Norte, Crateús, Sobral e Aracapé.

Ontem à noite, um grupo ligado ao Movimento Brasil Livre (MBL), Vem Pra Rua e Instituto Democracia e Ética (IDE) reuniu cerca de 100 pessoas na Praça Portugal. Com cartazes, faixas e um boneco inflável do juiz Sérgio Moro, pediam a confirmação da condenação de Lula. O mesmo grupo pretende voltar hoje à Praça Portugal, hoje à noite.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.