Governador do Amazonas defende que PMDB apóie Lula

O governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB), defendeu nesta quarta-feira que o PMDB reveja a decisão de lançar um candidato próprio e deixou claro que, no caso do seu Estado, o partido deve fechar, mesmo que informalmente, com a chapa encabeçada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva."O Amazonas, no governo do presidente Lula, obteve conquistas muito importantes", disse, ressaltando que o Estado "vai de forma livre e democrática" escolher sua posição. "É notória a relação positiva e a expectativa do povo do Amazonas em torno da candidatura do presidente Lula", disse o governador, que participou de uma reunião sobre o turismo amazônico na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).Para Braga, caso a candidatura própria se efetive, a legenda deve ir para o pleito de 2006 rachada, do ponto de vista regional. "Se a legislação (da verticalização) não cair, poderá haver esse apoio formal, de cumprimento de tabela, e pode ter também um apoio de forma racional, emocional, mais apaixonado", explicou.De acordo com o governador, os números dos pré-candidatos do PMDB nas pesquisas eleitorais mostram que uma candidatura própria pode não ser abraçada pelo partido. "Acho que o PMDB precisa avaliar muito bem sua posição e sua estratégia para que não aconteça com Rigotto ou Garotinho o que ocorreu no passado com o Ulisses Guimarães e o Quércia, que acabaram sendo candidatos formais, para cumprimento de tabela."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.