Governador diz que Lula mentiu sobre verbas para Alagoas

O governador Ronaldo Lessa (PDT) reassumiu nesta quinta-feira o comando do governo do Alagoas, depois de 60 dias de licença, para tratamento de saúde. Ele não poupou críticas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que esta semana esteve no Estado para o lançamento do campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), em Arapiraca, a 157 quilômetros de Maceió. Segundo Lessa, "Lula mentiu" quando disse que Alagoas foi melhor aquinhoada com verbas federais no seu governo do que no de FHC.Em Arapiraca, na terça-feira passada, Lula declarou que o Estado de Alagoas é privilegiado com o repasse de recursos federais e citou a realização de várias obras com a ajuda do seu governo. Segundo Lessa, a declaração de Lula deve-se a sua desinformação, visto que a transferência de recursos do governo Lula equivale apenas a 72% do que foi enviado durante o governo do tucano Fernando Henrique Cardoso.Lessa confirmou que a direção nacional do PDT insiste em manter seu nome como pré-candidato à presidência da República, a exemplo do ex-governador de Brasília e ex-ministro da Educação, Cristovam Buarque."A lembrança do meu nome para a disputa presidencial é muito gratificante, mas eu prefiro ser candidato ao Senado", afirmou Lessa, que aguarda uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a manutenção ou não dos seus direitos políticos, cassados por três anos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TER), no ano passado. Lessa recorreu da cassação e disse que está confiante na decisão do TSE. "África brasileira"Lessa afirmou que pediu à Procuradoria Geral do Estado que adotasse as medidas legais cabíveis para entrar com um processo contra o jornal Folha de S. Paulo e um jornal local, que divulgaram matéria afirmando que Alagoas seria a "África brasileira". O governador garantiu que as informações são desonestas e que não refletem os avanços conquistados pelo Estado durante nos últimos sete anos.Sobre as discussões em torno das eleições deste ano, Lessa disse que até o momento o nome mais forte para disputar o governo do Estado, com o apoio do seu grupo político, tem sido o do senador Renan Calheiros (PMDB/AL), presidente do Senado. No entanto, o senador ainda não divulgou oficialmente se irá ou não se candidatar. Renan tem dito que sua candidatura não depende da sua vontade pessoal, mas de um conjunto de fatores.Para o governador, não deve haver precipitação na indicação do nome, já que as negociações estão em curso e o nome do pré-candidato deve ser definido após o carnaval. Quanto à situação do seu processo no TSE, ele disse que a única novidade é a nomeação do ministro Torquato Jardim como relator do recurso. Lessa foi denunciado por abuso do poder político nas eleições de 2004, pela coligação do atual prefeito de Maceió, Cícero Almeida (PTB).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.