Governador de MS acusa Zeca do PT por caos nas contas

O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), disse na quinta-feira, 15, que seu antecessor, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, deixou o governo com a situação das contas "no mínimo calamitosa".Na mensagem que leu na abertura da legislatura na Assembléia Legislativa, Puccinelli falou em um "enorme desequilíbrio fiscal, associado a uma gestão inadequada, sob o ponto de vista da legalidade e da eficiência".Zeca do PT foi procurado pelo Estado na quinta-feira, mas não foi localizado. O deputado Vander Loubet (PT) e o ex-assessor de imprensa Oscar Ramos disseram que ele está "em local incerto e não sabido" há duas semanas. Puccinelli destacou falhas em todos os setores, principalmente na educação. A atual administração sustenta que o Estado chegou a devolver dinheiro à União, por não pedir mais prazo para uso de verbas. "Em 2005 houve abandono do ensino fundamental por 8% dos alunos e reprovação de outros 23,8%. No ensino médio, reprovação e abandono somaram 37% dos alunos." "Não podemos concordar com a imprudente declaração de que a atual administração herdou caos financeiro", reagiu Pedro Kemp, líder do PT na Assembléia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.