Governador confia em desfecho positivo, diz líder

O presidente do PSDB de Minas, Custódio Mattos, afirmou ontem que o governador Aécio Neves está confiante num "desfecho positivo" do acordo envolvendo aliança com PT e PSB na sucessão municipal em Belo Horizonte. Mattos conversou por telefone com o governador tucano, que disse que "as coisas estavam se encaminhando bem".Interlocutores de Aécio acreditam que ele poderá ceder em nome de um entendimento, aceitando dar o apoio informal à candidatura do seu ex-secretário de Desenvolvimento Econômico Márcio Lacerda (PSB), tendo como vice na chapa o deputado estadual Roberto Carvalho (PT).Na última sexta-feira, para tentar contornar crise interna, a Direção Nacional do PT recomendou à seção municipal do partido que afaste o PSDB da coligação formal, costurada pelo governador e pelo prefeito da capital mineira, Fernando Pimentel (PT). Apesar de aliados tucanos e do PSB demonstrarem indignação com a exigência, Aécio sempre ressaltou o gesto de "generosidade" do PSDB estadual na construção da aliança. Reservadamente, ele costuma dizer que pensou em lançar o nome do ex-ministro Pimenta da Veiga, mas optou por um acordo em prol da cidade."Não podemos, ao mesmo tempo que essa decisão do PT é contraditória, imatura politicamente, esquisita, reconhecendo isso, nós não podemos ter uma atitude só emocional, só simbólica, porque há interesses públicos envolvidos", disse Mattos. Ele observou que nos últimos dias o processo vinha sendo conduzido diretamente por Aécio. Os tucanos mineiros admitem que a decisão cabe a ele. Por outro lado, lideranças ainda vislumbram "avanço interno" no PT e reversão da condição imposta pela direção nacional. A expectativa é que Aécio comente hoje a resolução do Diretório Nacional do PT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.