André Dusek|Estadão
André Dusek|Estadão

'Golpe com aval do STF?', pergunta senador tucano a Dilma

Aloysio Nunes disse ainda que a presidente 'falseia a história' assim como fez nas pedaladas fiscais quando 'falseou as contas públicas'

Carla Araújo, Idiana Tomazelli e Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2016 | 12h48

BRASÍLIA - O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSBD-SP), que é o líder do governo no Senado e foi sétimo parlamentar a questionar a presidente afastada Dilma Rousseff, durante sessão de julgamento do impeachment no Senado nesta segunda-feira, 29, questionou como Dilma classifica o impeachment como golpe, já que ele tem aval do Supremo Tribunal federal (STF) e também indagou a razão dela ter apelado a organizações internacionais já que é o STF que concede a última instância de respeito à Constituição brasileira.

O tucano disse ainda que, assim como Dilma fez nas pedaladas fiscais quando “falseou as contas públicas”, “agora falseia a história”. Segundo le, a petista cometeu crimes de responsabilidade “de caso pensado”.

Aloysio disse que o País hoje vive clima de paz e tranquilidade e que a agenda do impeachment já está ficando para trás. “Os partidos já se preparam para eleições municipais e para as eleições de 2018”, afirmou.

Usando uma afirmação de Dilma, o senador tucano disse que o processo vai criar sim precedente e os próximos presidentes não voltarão a cometer crimes de responsabilidade. 

Em resposta ao senador, Dilma disse que recorre de acordo com a Constituição. "Ela determina que são vocês quem tem que me julgar. A hora que julgarem e condenarem uma presidente inocente é um golpe. Não acabei de tratar o assunto aqui. Por que não reccori ao Supremo? Ora, porque vocês ainda não votaram."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.