Ayrton Vignola/AE
Ayrton Vignola/AE

Goldman e Aníbal entram com recurso no Ministério Público para cancelar prévias do PSDB em SP

Para o ex-governador paulista, escolha de João Doria Jr. como candidato do partido teve 'irregularidades'

Elizabeth Lopes, O Estado de S. Paulo

29 de março de 2016 | 16h17

O presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal, e o ex-governador de São Paulo e vice-presidente nacional do PSDB, Alberto Goldman, protocolaram nesta terça-feira, 29, ação no Ministério Público Estadual (MPE) para anular as prévias realizadas na capital para a escolha do candidato que irá representar o partido nas eleições à Prefeitura de São Paulo. Em entrevista ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, Goldman disse que é preciso cancelar as prévias porque houve várias irregularidades na escolha do empresário João Doria Jr., aliado do governador Geraldo Alckmin.

"Estamos pedindo essa ação pelas irregularidades cometidas no processo, como por exemplo abuso de poder econômico por parte do João Doria e falta de quorum na votação em segundo turno", disse Goldman na entrevista.

Depois de uma disputa acirrada, o segundo turno das prévias teve apenas um candidato, o empresário João Doria Jr., porque o outro concorrente, o vereador Andrea Matarazzo, além de desistir dessa corrida, se desfiliou do partido, sob acusação de que o processo não foi legal.

Goldman lamentou a saída de Matarazzo do PSDB, dizendo que "o episódio (que motivou sua desfiliação) foi muito triste". E voltou às críticas: "(Matarazzo) foi massacrado pelo poderio financeiro (de Doria) e pela pressão da máquina pública (do governador paulista Geraldo Alckmin), não podemos criticar os adversários por condutas reprováveis e incorrer nos mesmos erros, com o cidadão, só voto em um candidato cujo processo de escolha tenha sido limpo, infelizmente o que não ocorreu neste caso."

O empresário João Doria Jr. foi definido como pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo no segundo turno das prévias da sigla, realizado no dia 20 de março. A candidatura terá ainda de ser homologada na convenção do partido em julho. Goldman disse esperar que o MPE cancele essa prévia e o partido realize novas eleições internas para escolher o candidato que disputará a maior prefeitura do País.

Outro lado. Aliados de Doria argumentam que a ação de Goldman e Aníbal faz parte de uma estratégia para, posteriormente, terem como justificar um possível apoio a Andrea Matarazzo, que deve concorrer à prefeitura pelo PSD.

Tudo o que sabemos sobre:
PSDBpréviaseleições 2016São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.