Gol não aumenta passagens mesmo com alta do dólar

O presidente da Gol Linhas Aéreas, Constantino de Oliveira Júnior, afirmou nesta terça-feira que a companhia manterá os preços das tarifas nos níveis atuais apesar da alta do dólar, que aumenta os custos da empresa.Segundo ele, a empresa continua em equilíbrio financeiro, mas já estuda formas de diminuir ainda mais os custos, a partir do melhor aproveitamento dos vôos."Ainda não posso revelar quais são os planos, mas estamos estudando formas de aumentar o aproveitamento", disse.A Gol, que ingressou no mercado em janeiro com uma política de preços mais baixos, mantém média de ocupação de 54% nos vôos, considerada boa por Constantino. No mês que vem a empresa receberá mais um Boeing 737-700, que vai operar na rota que incluirá Curitiba (PR).Segundo o executivo, os novos destinos iniciados neste mês (Recife e Campinas) estão com taxa de ocupação apenas razoável. Constantino afirmou também que a Gol vai publicar seu balanço financeiro nos jornais no segundo semestre.Ele não antecipou se a empresa terá prejuízo, mas afirmou que o primeiro ano de operação é sempre difícil. "Nós praticamos preços responsáveis e uma política de custos que nos garante equilíbrio", disse ele.A Gol mantém o parcelamento das tarifas através de financiamentos com o Banco Panamericano. Atualmente, segundo ele, os preços dos bilhetes podem ser parcelados em até 12 vezes, desde que as parcelas mínimas sejam de R$ 20.O executivo esteve nesta terça-feira na cerimônia de posse do novo superintendente do aeroporto de Congonhas, Willer Furtado, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.