Goiás Velho será patrimônio cultural da humanidade

Os sons dos sinos das igrejas centenárias revezaram-se com os foguetes na grande comemoração que tomou conta da cidade de Goiás Velho, antiga capital do Estado de Goiás, nesta quarta-feira.O centro histórico do município foi recomendado para ser inscrito como patrimônio cultural da humanidade pelo Bureau do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), reunido nesta quarta em Paris.Foi decretado feriado em Goiás Velho. A festa teve carreata e muita gente na rua. Até o governador Marconi Perillo (PSDB) foi comemorar na cidade.O resultado final da reunião do Bureau será divulgado na sexta-feira. Mas o título só deve ser oficializado em dezembro, em Helsinque, na Finlândia. Seis municípios já receberam a denominação no País: Ouro Preto, Salvador, Olinda, Brasília, São Luís e Diamantina.Segundo a coordenadora de Cultura do Escritório da Unesco no Brasil, Briane Bicca, a solicitação de Goiás para receber o título foi feita em maio de 1999. "Foi pedido um dossiê e uma série de interferências na cidade", explicou Briane.Depois de cumpridas as determinações, o pedido foi submetido ao Bureau, que tem representantes de seis países e recomendou a inscrição. "Em dezembro, reúne-se o Comitê do Patrimônio Mundial, com 21 países, e aí vai ser votado em definitivo." Em 2000, o comitê pediu mais informações.O vice-presidente do Movimento Cidade de Goiás Patrimônio da Humanidade, Leonardo Rizzo, ressaltou que a cidade já era tombada, tinha um acervo considerável, mas estava distante da preservação e da recuperação."Com o envolvimento da comunidade foi conseguida uma série de mudanças, como o restauro dos monumentos históricos, recaracterização do casario e captação e tratamento de esgoto para que os rios passem limpos pela cidade", afirmou Rizzo.Foram investidos cerca de R$ 30 milhões na infra-estrutura e revitalização do centro histórico."A festa começou logo cedo", disse o prefeito de Goiás Velho, Boadyr Veloso (PPB). Entre as mudanças, ele ressaltou a troca da fiação da iluminação pública aérea pela subterrânea, a reforma das igrejas, o museu instalado na antiga cadeia local e o restauro dos prédios antigos."Foi grande a participação também do governo do Estado, que descobriu nossa cidade histórica e incentivou a revitalização, que vai resultar no título de patrimônio cultural da humanidade", afirmou."Com a participação da comunidade, que envolveu até as escolas e as crianças, a cidade ficou bonita, arrumada, pintada e preocupada em recaracterizar e preservar seu patrimônio. Uma cidade que vive uma experiência dessa dificilmente volta à pasmaceira de não conservar", disse a coordenadora Cultural da Unesco.Segundo ela, a intenção do título é fazer a população tomar conta de seu patrimônio. Não é intuito da Unesco ser a fiscalizadora. "As crianças se envolvem hoje e teremos jovens e adultos mais responsáveis. O ganho é para sempre", explicou Briane.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.