Gleisi e Richa falam de saúde no horário eleitoral na TV

Candidatos que têm aparecido com mais intenções de votos nas pesquisas para a Prefeitura de Curitiba, o atual prefeito e representante da coligação "Curitiba, o Trabalho Continua" (PSDB-PDT-PPS-PSB-DEM-PSL-PTN-PP-PR-PRP-PSDC), Beto Richa, e a candidata da coligação "Curitiba Para Todos" (PT-PHS-PSC-PTC-PRB-PMN), Gleisi Hoffmann, levaram ao horário eleitoral de hoje o mesmo assunto: saúde. Foi quase um debate entre os dois. O programa de Gleisi foi ao ar depois do protagonizado pelo atual prefeito, mas coube a ela os ataques. "O governo municipal não tem sensibilidade para o sofrimento das pessoas", afirmou a candidata petista. "A política de saúde em Curitiba é um gigante de pés de barro". Segundo ela, as obras físicas não resolvem o problema das filas para consultas e exames especializados. Gleisi prometeu que fará convênios com clínicas e médicos particulares para garantir as consultas e contratará mais especialistas para o quadro próprio da prefeitura. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou ao programa para repetir elogios à candidata.Antes dela, o tucano já tinha se defendido. "Ainda não chegamos lá, mas avançamos muito", garantiu. Foram citadas as construções de sete mini-hospitais e de 17 centros de saúde e a contratação de 2.092 profissionais, além do atendimento mensal de mais de 100 mil pessoas. Segundo Richa, o problema das filas ainda não foi vencido em razão do tamanho do sistema. Mas ele prometeu novas unidades de saúde e um moderno serviço de marcação de consultas telefônicas, além da construção de hospitais para idosos e mulheres e um centro especializado do homem. Ainda de acordo com ele, também serão contratados 300 novos médicos e ampliadas as parcerias com hospitais e clínicas especializadas.No programa do PMDB, a abertura destacou o governador Roberto Requião, mostrando pesquisa do Vox Populi que o apontou como o segundo governador mais popular, "com toda mídia contra e sem propaganda milionária". Requião, então, pediu votos para o candidato Carlos Moreira Júnior. Este, por sua vez, apresentou a proposta de criação de centros de convivência para jovens em alguns bairros curitibanos. A "Frente de Esquerdas" (PSOL-PCB-PSTU), que tem Bruno Meirinho como candidato, preferiu salientar o socialismo e a "certeza de que é possível fazer um mundo melhor".O candidato do PC do B, Ricardo Gomyde, apresentou a proposta de criação da Secretaria da Juventude e colocou estudantes para cobrar o passe escolar. O PV, do candidato Maurício Furtado, criticou o modelo de gestão de Curitiba, encontrando uma explicação para isso: "O prefeito só pensa em 2010". O candidato do PT do B, Lauro Rodrigues, prometeu a criação do cartão verde, pelo qual o cidadão terá acesso a todas as informações e serviços públicos. Já o representante da coligação "Uma Só Curitiba" (PTB-PRTB), Fábio Camargo, prometeu uma administração que privilegiará os bairros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.