Gleisi afirma que não conhece Costa nem Youssef

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) afirmou que os repasses para sua campanha em 2010 foram todos declarados à Justiça Eleitoral. Por meio de sua assessoria de imprensa, a ex-ministra chefe da Casa Civil do governo Dilma Rousseff foi taxativa. "Todas as doações para minha campanha estão na prestação de contas fornecidas ao Tribunal Superior Eleitoral."

FAUSTO MACEDO E RICARDO BRANDT, Estadão Conteúdo

19 de outubro de 2014 | 09h21

Ainda por meio de sua assessoria, Gleisi afirmou que "não conhece Alberto Youssef nem Paulo Roberto Costa". O ministro Paulo Bernardo (Comunicações), também citado por Youssef na delação, negou qualquer possibilidade de ter ocorrido esse pedido e pagamento de propina na campanha de 2010 da senadora.

"Eu estive com esse Beto Youssef uma única vez quando eu era deputado e membro da CPI do Banestado. Ele estava preso e foi depor, e pelo que me lembre ele se valeu do direito de ficar calado", afirmou o ministro. "Chance zero disso ter acontecido, em hipótese alguma."

Bernardo garantiu que a senadora e sua mulher não conhece e nunca conheceu Youssef. "Nunca estive em outra ocasião com ele. Nunca falei com ele por telefone, ou e-mail. Não sei porque ele falaria em ajudar a campanha da Gleisi e precisa ver se é mesmo a campanha dela", afirmou o ministro das Comunicações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.