Fabio Motta|Estadão
Fabio Motta|Estadão

Gilmar Mendes diz que não deve decidir ações sobre Lula hoje

Até o momento, o Supremo já recebeu dez processos que pedem a suspensão da posse do ex-presidente como ministro-chefe da Casa Civil, seis dos quais estão sob a relatoria do ministro, considerado o mais crítico ao governo na Corte

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2016 | 19h04

BRASÍLIA - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que não deve tomar nenhuma decisão nesta quinta-feira, 17, sobre as ações que pedem a suspensão da posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como chefe da Casa Civil.

Até o momento, o Supremo já recebeu dez processos, seis dos quais estão sob a relatoria do ministro, considerado o mais crítico ao governo na Corte. "Nem dormi direito. Vou olhar, mas acho que não vou decidir nada hoje", disse.

Ele acumula três mandados de segurança, um ajuizado pelo PSDB, pelo PPS e outro por um advogado do Distrito Federal. Estão nas mãos dele também outras três petições de populares que pedem a anulação do decreto da presidente Dilma Rousseff nomeando Lula como ministro.

Nesta quinta, Gilmar Mendes ainda deve receber integrantes da oposição para conversar sobre o assunto. O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, também esteve no Supremo para falar com outros ministros. Mais cedo, ele informou que o governo vai recorrer de ações em andamento e mandados de segurança.

Lula tomou posse nesta quinta-feira, 17. A nomeação do ex-presidente foi suspensa em caráter liminar pelo juiz Itagiba Catta Pretta Neto, da Justiça Federal do Distrito Federal. Ele considerou que há indícios de que o ato de Dilma tenha como objetivo de intervir no Poder Judiciário. A Advocacia-Geral da União já recorreu da decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.