Gilmar Mendes diz que caso Palocci será julgado em agosto

Ex-ministro é alvo no processo de violação do sigilo bancário do caso do caseiro Francenildo Costa

Ana Conceição, da Agência Estado,

22 de junho de 2009 | 18h13

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, afirmou que ocorrerá em agosto o julgamento do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci no processo de violação do sigilo bancário do caso do caseiro Francenildo Costa. Mendes, que é relator do caso, disse que o processo não foi julgado até agora por falta de tempo.

 

O julgamento deve determinar o futuro político de Palocci, um dos cotados pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para concorrer ao governo do Estado de São Paulo nas eleições 2010.

 

Entre diversos assuntos tratados durante almoço-debate do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), em São Paulo, Mendes voltou a criticar as prisões em massa, como as realizadas pelas operações da Polícia Federal, que segundo ele carecem muitas vezes de fundamentação jurídica e têm sentido sensacionalista. Também criticou os "justiceiros do Ministério Público, da magistratura" e da polícia. "Temos delegados e juízes que se apresentam como justiceiros ao decretarem prisões em massa, mas sabemos ser difícil fundamentar a prisão de 40 pessoas", afirmou.

 

Protestos

 

Ao chegar ao local do almoço, o Hotel Renaissance, o presidente do STF foi recebido por um protesto de cerca de 200 estudantes de jornalismo contra o fim da obrigatoriedade do diploma. "Eles não estão protestando contra mim, mas contra a decisão do Supremo. Houve apenas um voto entre os nove do STF que foram proferidos. É absolutamente compreensível", afirmou depois em entrevista coletiva concedida. "A decisão teve grande respaldo na jurisprudência internacional. A própria Corte Interamericana de Direitos Humanos desde 1985 vem dizendo que não se pode regulamentar a profissão de jornalista", justificou.

Tudo o que sabemos sobre:
Gilmar MendesSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.