Gilmar Mendes defende reajuste para ministros do STF

Presidente do Supremo espera que aumento de R$ 24,5 mil para R$ 25,7 mil seja aprovado na Câmara

Agência Brasil,

28 de agosto de 2008 | 12h15

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, defendeu nesta quinta-feira, 28, o reajuste na remuneração dos ministros do STF. Projeto que tramita na Câmara aumenta o salário dos ministros de R$ 24,5 mil para R$ 25,7 mil. "Esperamos que seja votado. Há uma expectativa da magistratura em geral de que haja essa revisão", disse. Veja também:Presidente do Senado diz que irá barrar MPs durante 45 diasSenado aprova aumento salarial para 1,4 milhão de servidores  Ao defender o reajuste, Gilmar Mendes afirmou que a remuneração de um ministro do STF "está longe de ser excessiva" diante do grau de responsabilidade que o cargo requer. E disse hoje que "há uma diferença mínima" entre o que ganha um juiz e um ministro do Supremo. Gilmar Mendes ainda se mostrou a favor da isonomia de salários entre os ministros do STF e deputados e senadores. Com isso, poderia haver o fim das gratificações que parlamentares ganham. "Tanto melhor que tenhamos subsídios claros, porque encerramos todos aqueles atalhos, aquilo que se chamava de gratificações e penduricalhos. Sou favorável que haja transparência nessa relação e que haja remuneração digna para os parlamentares", disse. O projeto que aumenta o salário dos ministros do STF aguarda votação na Câmara. Na última quinta, na reunião de líderes, alguns deputados defenderam a isonomia entre os dois Poderes. Se aprovado, o proposta será ainda analisada pelo Senado.

Tudo o que sabemos sobre:
Gilmar MendesSTFreajuste salarial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.