Gil e Aznavour são ovacionados em show para Lula e Sarkozy

O evento marcou a inauguração do "Ano da França no Brasil", que será celebrado em 2009

EFE

22 de dezembro de 2008 | 23h57

O músico Gilberto Gil, ex-ministro da Cultura, e Charles Aznavour, ícone da "chanson" francesa, cantaram nesta segunda-feira para os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Nicolas Sarkozy no Rio de Janeiro. Os líderes de Brasil e França, o presidente da Comissão Européia (órgão executivo da União Européia), José Manuel Durão Barroso, e a primeira-dama francesa, Carla Bruni, foram os anfitriões de luxo do show. O evento serviu também para inaugurar o "Ano da França no Brasil", que será celebrado em 2009. A homenagem à cultura francesa chega como resposta ao ano do Brasil realizado na França em 2005 e que contou com uma agenda repleta de atividades artísticas e culturais. Gil participou do evento na ocasião, e nesta segunda-feira, subiu primeiro ao palco da sala Vivo Rio, acompanhado de seu violão. O baiano terminou sua apresentação com uma canção em francês, para o deleite dos convidados europeus. A seguir, Aznavour, vestido com sua habitual camisa preta, arrebatou a atenção dos espectadores e os conduziu por várias décadas de seu repertório de canções românticas acompanhado de sua Orquestra. Arrancou aplausos com "Mourir d'Aimer", foi acompanhado pelo público no refrão de seu clássico "La Bohème" e se despediu com uma grande ovação. Para fechar o espetáculo, o músico Lenine cantou um hino ao ano francês no Brasil em forma de rock e dividiu o palco com o francês Arthur H, compositor dessa música. A cerimônia oficial de abertura do "Ano da França no Brasil" ocorrerá em 21 de abril no Rio de Janeiro, e a de encerramento será realizada 15 de novembro em São Paulo, com um show e uma exposição artística.

Mais conteúdo sobre:
Gil, Aznavour, Lula, Sarkozy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.