Gil confirma saída do ministério após conversa com Lula

Juca Ferreira vai assumir interinamente; Gil diz que Cultura poderia receber Orçamento mais generoso

da Redação

30 Julho 2008 | 18h34

O músico Gilberto Gil não é mais o ministro da Cultura. Ele anunciou sua saída da pasta nesta quarta-feira, 30, após reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em entrevista coletiva, Gil disse que conversou com Lula e, desta vez, o presidente aceitou o seu desligamento. " A reunião foi tranqüila e realizadora. Disse a ele minha decisão e o encontrei acessível a isso. Ele mostrou entendimento em relação a minha posição", contou.    Seu braço direito e secretário-executivo, Juca Ferreira, vai assumir o cargo interinamente e, segundo Gil, deverá ser efetivado.   Veja Também: ESPECIAL:Dança das cadeiras no governo Lula  ENQUETE:O que você achou da atuação de Gil no ministério da Cultura?   Perfil de Gil e relembre sua gestão no ministério da Cultura Galeria de fotos: a carreira de Gilberto Gil    Gil argumenta que quer voltar à carreira artística e se dedicar à família também. "Nunca deixei de ser artista. Tenho permanecido artista desde o meu primeiro dia de ministro, mas quero me dedicar a outras coisas ".    Sobre as críticas que recebeu no exercício do cargo de ministro, Gil declarou: "Não me incomodam muito." Ele contou que o presidente Lula, com quem conversou na tarde desta quarta-feira, no Palácio do Planalto, se mostrou "sensível" à decisão dele de se afastar do cargo. Gil disse que deixa o ministério "com sentimento de uma certa perda", após cinco anos e meio de "um convívio muito importante, fazendo parte de um governo historicamente importante, marcante para o Brasil."   Gil havia dito também que os discursos prejudicam suas cordas vocais. "Treinei minha voz para o canto, e não para discursos", afirmou na primeira tentativa de deixar o governo. Em outubro do ano passado, Gil foi submetido a uma cirurgia nas cordas vocais para a retirada de dois cistos.     O músico fez uma queixa: "O ministério poderia ter recebido um orçamento mais generoso, de acordo com a meta desejada por nós e recomendada pela Unesco."   Gil está no ministério desde o primeiro mandato Lula, em 2003. Desde a semana passada, aumentaram os rumores sobre sua saída. Não é a primeira vez que o cantor diz que vai deixar o governo. No fim do ano passado, ele havia anunciado sua saída, mas voltou atrás a pedido de Lula.   (Com Agência Estado)

Mais conteúdo sobre:
Gilberto Gil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.