Gigantismo do governo facilita denúncias, diz petista

O líder do PT, senador Humberto Costa (PE), disse que "é natural" que surjam acusações contra ministros porque o "gigantismo do governo federal" acaba permitindo que isso ocorra. Segundo Costa, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a maioria das denúncias voltava-se contra o PT. E agora, no governo da presidente Dilma Rousseff, as acusações miram os diversos ministros da base aliada ao governo.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

16 de novembro de 2011 | 17h05

Ele defendeu as secretarias das áreas sociais com status de ministério, criadas por Lula, que vêm sendo ocupadas por petistas, como as pastas em defesa das mulheres e de combate à discriminação racial, que Dilma cogita extinguir na futura reforma ministerial. "Essas pastas deram voz a esses setores da sociedade", argumentou o líder.

Costa acrescentou que Dilma vem mantendo o "voto de confiança" no ministro do Trabalho, Carlos Lupi, mas exigiu que ele dê "explicações convincentes" sobre a recente denúncia de que teria voado num jatinho alugado pelo presidente da ONG Pró-Cerrado, Adair Meira, que tem contratos milionários com o Ministério. O senador Pedro Taques (PDT-MT) também reafirmou hoje, depois de falar por telefone logo cedo com o ministro Lupi, a necessidade de que ele apresente explicações convincentes sobre as denúncias de corrupção e tráfico de influência na Pasta.

Ainda hoje, o PSDB protocola representação contra Carlos Lupi por crime de responsabilidade na Procuradoria-Geral da República (PGR), acusando-o de "mentir" aos deputados durante depoimento na Câmara na semana passada, quando o ministro afirmou desconhecer Adair Meira. Segundo os tucanos, a carona do ministro no jatinho alugado por Meira contraria o Código de Conduta da Alta Administração Federal, que proíbe que as autoridades recebam transporte, hospedagem ou quaisquer favores de particulares que possam gerar dúvidas sobre sua probidade.

Tudo o que sabemos sobre:
LupidenúnciasPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.