Gestão Kassab dá início ao debate entre Haddad e Serra

O último debate deste segundo turno da corrida à Prefeitura de São Paulo, realizado na noite desta sexta-feira pela TV Globo, colocou em discussão, logo no primeiro bloco, a administração do atual prefeito Gilberto Kassab (PSD). O candidato do PT, Fernando Haddad, sorteado para fazer a primeira pergunta do debate, questionou o adversário do PSDB, José Serra, sobre a atual gestão, que tem elevado índice de desaprovação da população. Na resposta, Serra reconheceu que a cidade enfrenta problemas e que há muito o que fazer e frisou que sua candidatura é justamente pra isso: "Resolver os problemas de São Paulo".

ELIZABETH LOPES E BEATRIZ BULLA, Agência Estado

26 de outubro de 2012 | 23h41

Na réplica da pergunta, Haddad aproveitou para criticar a atual gestão, destacando os corredores de ônibus que não foram feitos e os hospitais que foram prometidos e não entregues. Na tréplica, Serra lembrou que Kassab foi eleito para o segundo mandato, vencendo a petista Marta Suplicy (PT) nas urnas e acusou PT de ter buscado o apoio do atual prefeito Kassab nessas eleições.

Na pergunta com tema livre, Serra indagou Haddad sobre a saúde da mulher. Haddad disse que Serra vê a mulher com visão restrita, apenas como gestante. "O Serra tem visão muito restrita da mulher. Ele vê a mulher apenas como gestante. Eu vejo a mulher desde o nascimento até a idade mais avançada". E citou um dos grandes problemas enfrentados pelas mulheres na cidade, a falta de creche.

Sobre a questão da saúde, o candidato do PSDB respondeu que considera a mulher "de maneira integral", e reforçou que a gestação é um momento importante para as mulheres. "No programa de Haddad para São Paulo sequer tem a palavra gestante. Fico feliz que ele elogiou o Mãe Paulistana", provocou Serra. Na tréplica, Haddad respondeu que caso o tucano respeitasse a mulher em sua integralidade teria investido mais em transporte coletivo, visto que a mulher é a que "mais sofre nos trens e metros e ônibus" e passa por "situações extremamente constrangedoras nos transportes públicos da cidade".

Na segunda pergunta, Haddad citou os elevados índices de criminalidade na cidade de São Paulo e indagou o que Serra pretende fazer. O tucano disse que vai ser um prefeito ativista pra ajudar o governo do Estado nessa questão, caso seja eleito. Citou seu programa de aumentar o monitoramento por câmeras na cidade e invocou a parceria com a administração estadual. "Dentro de um ano teremos a cidade muito bem iluminada", frisou, destacando que vai ainda reforçar a Guarda Metropolitana, em trabalho de cooperação. "Segurança não tem partido", disse Serra.

Haddad disse que dobrou o número de mortes em São Paulo e cobrou de Serra a falta de iluminação na cidade. "Se vocês não fizeram em oito anos, como quer fazer em apenas um." O tucano, na tréplica, citou o problema do crack e voltou a destacar a parceria com o governo para resolver a questão da segurança pública.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPdebateinício

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.