Gerente de shopping discrimina funcionários

O gerente de Operações e Segurança do Brasília Shopping, um dos mais frequentados de Brasília, Paulo Santana, causou polêmica hoje ao distribuir uma circular aos funcionários e lojistas proibindo o uso de banheiros e elevadores destinados a clientes por funcionários uniformizados. Dois dias antes, o presidente Fernando Henrique Cardoso assinara uma série de propostas em defesa dos direitos humanos no Brasil. "Isso é uma discriminação, ainda bem que voltaram atrás", disse uma funcionária que não quis se identificar.A assessoria de imprensa do shopping disse que a circular foi distribuída sem conhecimento da administração e logo que o superintendente do shopping, Alexandre Ayres, soube do ocorrido revogou a medida. Segundo a assessoria, foi um grande mal entendido. "A intenção não era proibir os funcionários de usarem os banheiros e sim informar que existem banheiros e refeitório que oferecem mais comodidade aos funcionários."O secretário de Estado dos Direitos Humanos, Paulo Sérgio Pinheiro, soube da discriminação contra os funcionários e enviou um fax à superintendência do shopping sugerindo que os responsáveis pela circular fossem advertidos "para que não cometam atos discriminatórios com seus funcionários e público usuário".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.