Geraldo Magela nega pagamento em rinha de Duda Mendonça

O ex-deputado e candidato derrotado do PT ao governo do Distrito Federal Geraldo Magela afirmou hoje que não há possibilidade de ser seu o cheque encontrado na rinha de brigas de galo de Jacarepaguá (RJ), em meio à operação em que foi preso o publicitário Duda Mendonça. Seu nome foi citado pelo chefe da Delegacia do Meio Ambiente da Polícia Federal, Antonio Rayol, que está investigando a autoria do cheque. Magela diz que levantar suspeitas sobre ele nesta circunstância é "uma irresponsabilidade" do delegado, que antes deveria ter conferido o sobrenome para ver se havia coincidência. "Geraldo Magela é um pré-nome muito comum por ser de um santo italiano. Cada família mineira tem pelo menos um Geraldo Magela", destacou.O ex-deputado esclareceu que seu sobrenome é Pereira. "Eu nunca fiz um pagamento a Duda Mendonça, raramente trabalho com cheques e jamais pisei em uma rinha de galo. Briga de galo é uma violência inadmissível para uma pessoa como eu, que não suporta nem ver passarinho em gaiola."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.