Gustavo Queiroz/Estadão
Gustavo Queiroz/Estadão

Mãe de Bolsonaro é sepultada em Eldorado

Olinda Bonturi Bolsonaro faleceu na madrugada desta sexta-feira, 21; chefe do Executivo cancelou viagem à Guiana e chegou ao Brasil no início da tarde

Gustavo Queiroz, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2022 | 11h41
Atualizado 21 de janeiro de 2022 | 17h56

O presidente Jair Bolsonaro acompanhou nesta sexta-feira, 21, no município de Eldorado, no interior de São Paulo, o sepultamento de sua mãe, Olinda Bonturi Bolsonaro

Bolsonaro chegou de helicóptero ao município, perto das 15h, acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, dos filhos Flávio e Renan Bolsonaro e da nora, Fernanda Bolsonaro. O grupo seguiu ao Salão Paroquial do Santuário Nossa Senhora da Guia, no centro da cidade, onde o corpo foi velado, acompanhou uma cerimônia religiosa no local e seguiu em cortejo fúnebre até o Cemitério Central de Eldorado.

Um grupo de moradores da cidade acompanhou a comitiva presidencial por cerca de 500 metros na caminhada para o cemitério. Ao longo da tarde, diversas coroas de flores foram entregues no local, incluindo uma assinada pela Marinha do Brasil.

Olinda morreu na madrugada desta sexta-feira, 21, aos 94 anos, após quatro dias internada no Hospital São João, em Registro, no interior de São Paulo. O presidente confirmou o falecimento em sua conta pessoal no Twitter. A causa da morte não foi informada formalmente. Segundo um funcionário da prefeitura que pediu para não ser identificado, Olinda foi internada com um quadro de desidratação e infecção urinária. Segundo o portal G1, ela sofreu duas paradas cardiorrespiratórias e não resistiu.   

“Com pesar o passamento da minha querida mãe. Que Deus a acolha em sua infinita bondade”, escreveu Bolsonaro no Twitter, ao publicar um vídeo em que a família aparece na companhia de dona Olinda.

Desde esta quinta-feira, 20, o presidente estava no Suriname, onde se reuniu com autoridades locais para tratar de cooperação econômica no setor de petróleo e gás. Ele viajaria hoje para a Guiana.

Ele se encontraria nesta sexta-feira com o chefe do Executivo da Guiana, Irfaan Ali, para tratar de relações bilaterais e cooperação econômica. Em sua primeira viagem internacional neste ano, o presidente se reuniu nesta quinta-feira, 20, com o líder do Suriname, Chandrikapersad Santokhi, na sede do governo local.

Após o encontro com o surinamês, Bolsonaro afirmou que o Brasil pode cooperar com o país vizinho na prospecção de petróleo e gás, por meio da Petrobras. Recentemente, foram descobertas reservas de hidrocarbonetos tanto no Suriname quanto na Guiana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.