Genro: polarização provocada por FHC é boa para o País

O ministro da Justiça, Tarso Genro, disse que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem legitimidade para participar do debate político em torno da sucessão presidencial e também para fazer comparações entre o governo dele e o do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "É bom para nós que ele (FHC) compare as duas administrações. Esse debate nos interessa", disse Tarso, convicto de que a gestão petista foi muito superior a dos tucanos.

VANNILDO MENDES, Agencia Estado

08 Fevereiro 2010 | 19h41

Segundo o ministro, a polarização que o ex-presidente provocou, em artigo publicado ontem no Estado, é boa também para o País e a democracia, "porque permite comparações". No artigo, FHC criticou a estratégia adotada pelo governo Lula para vencer as eleições, baseada em criar inimigos a enunciar inverdades. "Se o lulismo quiser comparar, sem mentir e sem descontextualizar, a briga é boa", afirmou o ex-presidente.

Hoje ele voltou ao ataque ao afirmar que a PR candidata do PT à sucessão de Lula, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, "não é líder, é reflexo de um líder". Tarso minimizou: "Alguma frase mais agressiva, aqui e ali, vai ocorrer durante a campanha", disse, ressaltando que a presença de FHC na cena política, vinculada à candidatura do candidato tucano, José Serra, "é positiva para a democracia e permite que a população compare os dois projetos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.