Genro diz no Rio duvidar de acusações contra Dilma

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou hoje, no Rio, duvidar que a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, tenha acolhido, indicado ou orientado qualquer ato ilegal em relação à compra da Varig. Genro disse conhecer Dilma há mais de 30 anos e afirmou que ela "é uma pessoa obsessiva em relação à legalidade em tudo o que faz". Para ele, é "necessário sempre ter uma crise" no imaginário político do País - Genro ressalvou, porém, que isso não quer dizer que a oposição não tenha o direito de investigar."Concordo com as análises que estão na imprensa de que a ministra, pela competência que tem, por ter sido indicada e ser a gerente do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), vira alvo político, passa a ser cogitada para outras funções", declarou. "Mas isso que está acontecendo em relação à Varig, esta eventual acusação contra ela, se choca contra toda uma trajetória de vida." O ministro da Justiça disse que ainda não havia se manifestado sobre o caso porque os 15 dias de férias terminaram hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.