Genoíno visita Assembléia com vistas a coalizão

O candidato do PT ao governo do Estado de São Paulo nas eleições de 2002, deputado federal José Genoíno (SP), esteve, nesta quinta-feira, na Assembléia Legislativa, para fazer um corpo-a-corpo com os deputados das bancadas do PSB, PC do B e PDT que, segundo ele, devem compor uma ?coalizão política? no Estado.?Estive aqui para visitar os deputados do PT e conversei com os colegas do PSB e PCdoB. Vamos fazer uma coalizão para ganhar e governar São Paulo?, afirmou.Genoíno explicou que o candidato a vice-governador e ao Senado será indicado pelos três partidos. ?Temos um bom relacionamento com a Erundina (Luiza, ex-prefeita de São Paulo), mas a indicação para vice vai ficar a critério do PSB?, explicou.ConvençãoO PT prepara uma convenção que deve realizar-se nos dias 30 de novembro, 1º e 2 de dezembro, momento em que serão apresentadas as diretrizes e programa de seu governo aos partidos que se aliarão aos petistas.O candidato do PT não descarta que essa aliança paulista se estenda à candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República.RachaApesar da confiança do petista, há deputados do PSB que mantêm conversas com os tucanos e demonstram intenção de apoiar o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que deverá concorrer à reeleição em 2002.Em tese, o partido estaria rachado, mas Genoíno acredita que essa possibilidade exista. ?Esta alternativa (do PSB apoiar os tucanos) está fora de questão?, disse, confiante.Genoíno, no entanto, descartou em São Paulo alianças com o PPS de Ciro Gomes, que deve apoiar Alckmin, e com o PL, que se articula nacionalmente nos bastidores para apoiar Lula.Genoíno quer DudaO petista disse que deseja que sua campanha seja realizada pelo marqueteiro político Duda Mendonça, que já atua na campanha de Lula e do PT. ?Se eu tiver dinheiro, eu quero o Duda?, afirmou Genoíno, referindo-se a arrecadação e ao caixa de campanha.A participação do marqueteiro baiano na campanha paulista do PT daria, segundo o deputado, uniformidade aos programas do partido. ?Estamos conversando?, explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.