Genoino vai passar a noite no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal

Ex-presidente do PT deu entrada no hospital às 14h e passou por uma bateria de exames; boletim, contudo, não faz referência ao problema que gerou mal-estar no deputado licenciado

Lígia Formenti, Agência Estado

21 de novembro de 2013 | 20h37

Brasília - O deputado federal licenciado José Genoino (PT-SP) passará a noite no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal. A permanência dele no hospital foi confirmada na noite desta quinta, 21, por meio de nota divulgada pela instituição. "O paciente vai permanecer em observação durante esta noite e será reavaliado amanhã pela manhã", cita texto do Instituto de Cardiologia.

Um pouco mais cedo, boletim divulgado pelo hospital informava que Genoino deu entrada às 14 horas d no serviço de emergência do Instituto de Cardiologia, acompanhado do juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Ademar Silva de Vasconcelos, e do médico do sistema prisional José Ricardo Fonseca.

De acordo com a nota do hospital, Genoino foi submetido a uma bateria de exames laboratoriais e de imagem, entre eles ecocardiograma e tomografia. Segundo informações extraoficiais, o deputado licenciado se deslocou para os exames, dentro do hospital, por meio de cadeira de rodas. Ele também se alimentou. Conforme determinação judicial, os resultados dos exames serão encaminhados ao presidente do STF, Joaquim Barbosa. Em julho, o parlamentar licenciado passou por uma cirurgia de dissecção da aorta e, desde então, sua condição de saúde está delicada.

Logo depois de Genoino dar entrada no hospital, a mulher dele e a filha chegaram ao local. Também fizeram visitas a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, e o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP). O juiz Ademar de Vasconcelos passou parte da tarde também no Instituto de Cardiologia. De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, familiares do condenado conversaram com psicológo da instituição.

À tarde, Genoino permaneceu escoltado por quatro policiais, esquema de deve ser mantido durante a noite. Condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão, Genoino estava preso no Complexo Penitenciário da Papuda desde o último final de semana, mas passou mal nesta quinta, com suspeita de ter sofrido um infarto, e foi transferido para o Instituto de Cardiologia. O trecho da Papuda ao hospital tem aproximadamente 30 quilômetros. A nota divulgada pelo Instituto de Cardiologia, entretanto, não faz referência ao problema que gerou mal-estar em Genoino.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, deferiu parcialmente na tarde desta quinta, o pedido formulado pela defesa de José Genoino, garantindo, provisoriamente, tratamento médico domiciliar ou hospitalar ao ex-presidente do PT. "Defiro parcialmente o pedido formulado pela defesa do condenado José Genoíno Neto, para, provisoriamente, permitir-lhe o tratamento médico domiciliar ou hospitalar, até o pronunciamento conclusivo da Junta Médica indicada na decisão que proferi na data de hoje, 21 de novembro de 2013", citou Barbosa em sua decisão.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoJosé GenoinoJoaquim Barbosa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.