Genoino recebe parentes e amigos um dia após STF decidir pela execução das penas

Filha e jornalista acompanham ex-presidente do PT que poderá ser preso pelo crime de corrupção ativa caso Supremo determine a prisão imediata dos réus

Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo

14 de novembro de 2013 | 14h52

São Paulo - O ex-presidente do PT José Genoino começou a receber visitas de amigos e parentes para acompanhar a sessão desta quinta-feira, 14, do julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF).

O primeiro a chegar na casa de Genoino foi o advogado José Carlos Alves. Ele disse que foi aluno do petista e afirmou ter vindo visitar seu amigo. O advogado trazia nas mãos o livro "Escolhas políticas", escrito por Genoino.

"Fui aluno dele e sou admirador dele", afirmou o advogado, cuja visita durou cerca de 10 minutos.

Pouco depois, Genoino recebeu a jornalista Denise Paraná, também considerada amiga da família. Ela chegou com um vaso de orquídeas roxas, refrigerantes e um chocotone.

"Sou amiga dele. Sou jornalista como vocês. Sou ser humano como vocês. E seres humanos produzem humanidades", disse irritada, após questionada pelos jornalistas.

A última a chegar foi a filha de Genoino. Ela xingou os repórteres que estavam em frente da casa do petista e acelerou o carro contra eles para dispersá-los.

Condenação. O ex-presidente do PT foi condenado a 6 anos e 11 meses de prisão pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha. No crime de formação de quadrilha, contudo, Genoino teve 4 votos pela absolvição e poderá recorrer por meio de embargos infringentes. Dessa forma, ele pode ser preso imediatamente apenas pelo crime de formação de quadrilha, cuja pena é de 4 anos e 8 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoJosé GenoinoPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.