Genoino não vê traumas para o PT em 2004

O presidente do PT, José Genoino, disse hoje que a agenda de 2004 ? que inclui as eleições municipais, as reformas do Judiciário e agrária e esforços no crescimento e criação de emprego ? deverá ser tratada pelo partido sem grandes divergências. Ao contrário do ano passado, quando quatro parlamentares foram expulsos do partido. "Vamos ter divergências pontuais, faz parte da nossa vida, mas nada traumático porque estamos colocando em prática um procedimento de azeitar melhor as relações entre partido, bancada e governo", disse após reunião da Comissão Executiva Nacional em São Paulo.Segundo ele, o PT ainda não definiu como serão as alianças para as eleições municipais. "Estamos concluindo a escolha de nomes e vamos preparar um protocolo com os partidos que nos apóiam no governo para costurar alianças", disse. Sobre as discussões em torno da autonomia do Banco Central, ele defendeu uma discussão sem açodamento. "Temos um acordo e um protocolo firmado com o governo, no início do 2003, que é discutir a matéria preventivamente e de forma a aparar algumas arestas, antes do seu envio ao Congresso Nacional", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.