Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Genoino diz que radicais de esquerda fazem jogo da direita

Vaiado ontem na abertura do 48.º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), em Goiânia, o presidente nacional do PT, José Genoino, disse hoje que os radicais de esquerda fazem o "jogo da extrema direita" ao atacar o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Se não viabilizarmos nosso governo, o que vem no lugar dele não é a esquerda da esquerda, mas a truculência da direita", afirmou Genoino, durante seminário promovido pela UNE. Na abertura do congresso, quarta-feira à noite, ele e o ministro da Educação, Cristovam Buarque, foram vaiados por radicais do próprio PT e de partidos como o PSTU e o PCO (Partido da Causa Operária). Lula também tem sido alvo de vaias, tanto de servidores públicos contrários à reforma da Previdência quanto de alas e partidos à esquerda do PT - que acusam o governo petista de incoerência e de seguir a cartilha do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Apesar do apoio popular revelado nas pesquisas de opinião, o governo Lula experimenta o fim da lua-de-mel que marcou sua eleição e os primeiros meses no poder. E se prepara para enfrentar uma possível greve do funcionalismo federal marcada para o próximo dia 8. Genoino disse que as vaias fazem parte do processo democrático e defendeu a autonomia da UNE. Mas criticou o que chama de "oposição de esquerda quando a esquerda chega ao poder". Segundo ele, sempre que isso ocorreu, em qualquer país, o que veio depois foram governos de direita. "Onde aconteceu isso no mundo, o que vem no lugar não é a esquerda, vem a direita. Por isso temos que unir a esquerda para apoiar e sustentar o nosso governo", disse, em entrevista após o seminário. "Muitas vezes críticas esquerdistas e precipitadas acabam indiretamente fazendo o jogo da extrema direita." Ele citou o exemplo da ex-prefeita de São Paulo Luiza Erundina, então filiada ao PT, que enfrentou oposição dentro do partido e teve como sucessor Paulo Maluf. "Quero dialogar de maneira franca com todas as correntes petistas, inclusive as que estão aqui no Congresso. Não existe corrente melhor do que a outra. Somos um partido pluralista", disse Genoino. Guerra de torcidas - Ontem, ao entrar no anfiteatro da Universidade Federal de Goiás, ele foi recebido com aplausos. Mas, numa demonstração clara de que o movimento estudantil está dividido em relação ao governo Lula, um grupo de militantes do Movimento Esquerda Socialista, ala petista cuja liderança mais expressiva é a deputada Luciana Genro (PT-RS), gritou palavras de ordem hostis ao governo. "Para construir o socialismo, tem que romper com o imperialismo", gritaram, em coro, cerca de 30 estudantes, um dia antes do encontro, hoje, entre Lula e o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, em Washington. Numa espécie de guerra de torcidas, o troco veio em seguida, com a maioria do público - cerca de 500 pessoas - saindo em defesa do presidente do PT. "Genoino, guerreiro do povo brasileiro". O total de participantes do Congresso da UNE, que termina no domingo, deve chegar perto de 15 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.