Genoino diz que PT não impõe condições a aliados

O presidente nacional do PT, José Genoino, afirmou nesta segunda-feira que o PT está disposto a abrir negociações com os partidos da base aliada ao governo e não impõem qualquer condição para o diálogo. Em entrevista ao portal do partido na internet, ele explicou que a legenda deixou o presidente "à vontade" para ajustes necessários na equipe ministerial e destacou que um acordo com o PMDB é possível."Estamos dispostos a conversar com os aliados sobre 2006, sem condições prévias", disse Genoino, negando a hipótese de o partido estar brigando por posições. "Vamos trabalhar para melhorar a relação política com o PMDB. Temos com o PMDB uma co-responsabilidade, assim como com os partidos aliados, de cumprir a agenda de 2005", comentou.Indagado sobre a importância do encontro nacional de prefeitos que o PT promove a partir desta segunda em Brasília, Genoino respondeu que a reunião visa aumentar o entrosamento e discutir as inovações sobre a forma como governar pequenas e grandes cidades."Nossa responsabilidade é maior porque passaremos a governar um número maior de capitais e cidades acima de 150 mil eleitores, além das cidades que continuamos a administrar", observou. "Temos de combinar a questão da gestão com a sustentação e apoio ao governo Lula, para que sejam cumpridas as prioridades para 2005", disse, citando como principais exemplos a consolidação do desenvolvimento com emprego e renda, o avanço dos programas sociais, o apoio aos investimentos em infra-estrutura e as reformas institucionais, como a política e a do Judiciário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.