Genoino diz que Lula não fará mais campanha no 1º turno

O presidente do PT, José Genoino, disse hoje que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não deverá mais participar da campanha de primeiro turno de candidatos petistas a prefeito. No sábado, Lula pediu votos para a reeleição da prefeita Marta Suplicy, durante inauguração de uma avenida na zona leste; no domingo, o presidente foi a Recife participar da campanha à reeleição do prefeito João Paulo e de outros candidatos petistas. O PSDB acusou o PT de usar a máquina estatal e anunciou que vai representar ao Ministério Público contra o partido do governo, por propaganda ilegal. No próximo sábado Lula vai ao Rio de Janeiro para prestigiar um programa de alfabetização. Lá, o candidato petista Jorge Bittar está muito mal nas pesquisas sobre a preferência dos eleitores. O PFL levanta a suspeita de que o presidente possa repetir o gesto de São Paulo e Recife e pedir votos para Bittar, o que poderia atrapalhar a tranqüila campanha de Cesar Maia à reeleição. Mas, de acordo com Genoino, nada foi combinado com Lula. "Não temos programação que inclua o presidente", disse. Nos bastidores da cúpula petista há a informação de que a participação de Lula na campanha de Marta e de João Paulo foi previamente acertada no partido. Em São Paulo, porque o PT considera a vitória estratégica para suas pretensões eleitorais futuras e uma derrota representaria prejuízos futuros ainda incalculáveis; em Recife, porque Lula nasceu em Pernambuco e se acha um pouco responsável pela vitória de João Paulo na eleição de 2000, quando o candidato saiu das últimas posições e acabou vencendo a disputa com o ex-prefeito Roberto Magalhães (PTB), então no PSDB.A 9 dias do fim da campanha eleitoral, o PT vai orientar seus candidatos a se vincular de vez ao governo federal. Nos últimos dias essa estratégia petista ficou evidenciada nos programas eleitorais. Em São Paulo, Marta Suplicy usou no seu espaço eleitoral gratuito de segunda-feira um inflamado discurso do presidente Lula, o mesmo feito no sábado, durante a inauguração, e que tanto protesto gerou no PSDB. Pela primeira vez, os responsáveis pelo marketing petista deixaram a candidata fora do ar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.