Genoino diz que desiste de entender caso Celso Daniel

O presidente do PT, José Genoino, disse que está desistindo de querer entender o caso do assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel. "Isso é uma mistura de fantasia, politização e intriga política", disse Genoino, referindo-se ao pedido do Ministério Público para que a polícia investigue a origem de um CD contendo 42 fitas de escuta telefônica de pessoas ligadas ao prefeito assassinado. O CD contém escutas do empresário Sérgio Gomes da Silva, conhecido como Sombra. Ele era amigo de Celso Daniel e dirigia o carro no momento que o prefeito foi sequestrado. Sérgio Gomes foi preso sob acusação de ser o madante do crime. Também aparecerem ex-secretário de Governo, Gilberto Carvalho, hoje secretário particular do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP). O MP suspeita que as fitas tenham sido editadas. "Isso tudo envolve escutas clandestinas e eu nunca fui chegado a coisas clandestinas", afirmou Genoino. "Não fiz quando era oposição e muito menos agora, que estou no governo. Acho tudo isso parecido com aquela fumaça de gelo de shows de rock".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.