Genoino defende teto de R$ 1.058 para cobrança de inativos

O presidente do PT, José Genoino, disse hoje que a bancada do partido tem que aceitar a proposta de teto salarial de R$ 1.058 para isenção da cobrança previdenciária dos funcionários públicos inativos, se o ponto foi acordado entre os presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os governadores. Ele explicou que anteriormente tinha mencionado um teto de R$ 2.400, por ser o teto dos benefícios do INSS."A bancada do PT não vai votar contra o governo. Um apelo do presidente Lula convence a bancada, mesmo com as reclamações que estão sendo feitas", disse ele. Segundo Genoino, o partido vai realizar em maio seminários nacionais com todos os presidentes dos diretórios para esclarecer todas as questões da Previdência. "Eu não aceito a tese de que a taxação de inativos é questão de princípios. Pelo contrário, questão de princípio é taxar os altos ganhos. Se o presidente Lula deu a palavra aos governadores, temos que honrar a palavra dele", afirmou. A bancada do PT reúne-se amanhã com o ministro da Previdência, Ricardo Berzoini, para debater todos os pontos da reforma da previdência. Genoino tem circulado pelo Congresso com uma tabela nas mãos, contendo os valores das aposentadorias de diversas esferas do governo. De acordo com a tabela, a média de aposentadorias do INSS é de R$ 389,14, enquanto que no Ministério Público é de R$ 12.500,71; no Executivo de R$ 2.272,00; no Banco Central R$ 2.001; no Legislativo R$ 7.900,00; e no Poder Judiciário R$ 8.027,00.O presidente do PT acredita que, ao analisar estes números, a bancada do PT possa ser convencida a votar a favor da taxação dos inativos. "Se trabalharmos os números, vamos mostrar que a fumaça é maior que o fogo", afirmou. ?O fogo da reforma da previdência vai queimar os privilégios?. Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.