Genoino defende ousadia na política econômica do governo

O presidente nacional do PT, José Genoino, cobrou do governo federal mudanças na política econômica, com a adoção de "mais ousadia, mais iniciativa e diversificação da agenda". "Na questão macroeconômica é fundamental a gente não ter susto nem abalo, mas é importante também combinar com a microeconomia de cadeias produtivas, regiões econômicas do País, combinando também a política de exportações, que está dando certo, com uma política de mercado interno de massas", afirmou. Os petistas estão reunidos na sede do partido, na capital paulista. Segundo Genoino, o partido mantém apoio "fundamental e inquestionável" à condução do Ministério da Fazenda por Antonio Palocci, negando, desta forma, que o PT estava sugerindo alguma medida de relaxamento da política de ajuste fiscal do governo. "Isso não foi discutido. As mudanças são nas iniciativas governamentais, nos programas (de governo). Não tem nada em relação a ajuste fiscal nem ajuste cambial. Nós apoiamos integralmente a gestão macroeconômica do ministro Palocci", explicou. Pouco antes de conceder a entrevista coletiva, os petistas divulgaram nota de defesa "do patrimônio ético" do partido, em que já cobravam mudanças na política econômica: "Vamos trabalhar com afinco para que o governo implemente as medidas necessárias para que 2004 marque o início de um novo e sustentado ciclo de desenvolvimento econômico e social do País, por meio de mudanças na política econômica necessárias à implantação e consolidação de todos os nossos programas sociais, econômicos e administrativos e de desenvolvimento, visando sempre conquistar melhores condições de vida para todos os brasileiros, enfrentando com eficiência os problemas conjunturais e estruturais que afetam nosso País e nosso povo", diz a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.