Genoíno acredita em vitória de Dirceu

O presidente interino do PT, deputado José Genoíno, acredita que o deputado José Dirceu deve vencer as eleições para a presidência nacional do partido, ainda no primeiro turno. "Fizemos uma avaliação, através de contato telefônico com os diretórios em vários Estados, que apontou para este resultado", disse. Ele acrescentou que, no Estado de São Paulo, José Dirceu deve conseguir 62% dos votos, de acordo com essa avaliação informal. A divulgação do boletim oficial está marcada para às 19 horas no site do PT (www.pt.org.br). Segundo o partido, possivelmente sairá um outro boletim às 23 horas. Genoíno explicou que nenhuma parcial foi divulgada ainda porque houve problemas de conexão com os Estados: o grande volume de dados enviados provocou um congestionamento no provedor do diretório nacional, onde está sendo realizada a apuração. "O sistema voltou a funcionar agora à tarde", disse Genoíno. A organização não esperava que as informações chegassem tão rapidamente. O deputado acredita que será possível concluir a contagem até a próxima quarta-feira, e que em muitos diretórios deve haver segundo turno, marcado para 7 de outubro e que não contará com urnas eletrônicas, em razão da falta de infra-estrutura administrativa. As eleições para a presidência dos diretórios municipais, estaduais e nacional do partido, realizadas ontem, tiveram 1.100 urnas eletrônicas, distribuídas em várias cidades do País. Genoíno afirmou que o comparecimento dos eleitores ficou em torno de 200 mil pessoas, dentro do previsto. "Foi um número esperado considerando todos os critérios utilizados para permitir que os filiados votassem, como, por exemplo, prazo mínimo de um ano de filiação e mensalidades em dia. Temos que considerar que muitos filiados que entraram para o PT em 2000 não puderam votar", destacou. O partido enfrentou falta de quórum em muitos de seus diretórios, como na cidade de Santos, Belo Horizonte, Contagem e Juiz de Fora, onde o número de eleitores não alcançou o mínimo de 15%. Segundo Genoíno, essa falta de quórum em três grandes cidades mineiras não comprometerá as eleições no Estado. O deputado declarou ainda que esta eleição servirá para atualizar o cadastro real de filiados do PT. Para ele, as eleições ativaram a base do partido, que ficou "oxigenado". "A unidade não pode ser imposta. Já ficou provado que o PT não consegue vencer eleições quando há brigas internas. O clima político interno é muito bom, pois o processo eleitoral está legitimado e não há qualquer tipo de questionamento".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.