Geiza Dias é inocentada no processo do mensalão

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou pela condenação de oito dos dez réus por lavagem de dinheiro em julgamento neste capítulo do processo do mensalão. Com o voto dele, pela absolvição, a ex-funcionária da agência SMP&B Geiza Dias está livre da acusação. Resta agora apenas o voto do presidente da corte, ministro Carlos Ayres Britto.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

13 de setembro de 2012 | 20h37

Até agora, foram condenados por todos os nove ministros a ex-presidente e acionista do Rural, Kátia Rabello; o ex-vice-presidente operacional do banco, José Roberto Salgado; o publicitário Marcos Valério, seus ex-sócios Ramon Hollerbach e Cristiano Paz; e a ex-diretora financeira da agência SMP&B, Simone Vasconcelos. O ex-diretor e atual vice do Rural, Vinicius Samarane, e o ex-advogado das agências, Rogério Tolentino, já foram condenados por sete dos nove votos. Ayanna Tenório, ex-vice-presidente do banco foi absolvida por unanimidade, enquanto Geiza Dias teve seis votos a seu favor e três pela condenação.

Celso fez uma longa exposição sobre a gravidade dos crimes de lavagem de dinheiro e da necessidade de se puni-los com rigor. Afirmou que o processo do mensalão trazem dados "graves" e "inquietantes" sobre o tema.

O ministro destacou ainda a absolvição de Geiza. Ele destacou que no crime de lavagem de dinheiro é necessário que seja provado o conhecimento de que o dinheiro é fruto de crimes. Na visão dele, as provas dos autos trazem dúvidas sobre o envolvimento da ex-funcionária, que era responsável pelo envio ao Rural das ordens de pagamento. Essa ré foi descrita pela própria defesa como uma funcionária "mequetrefe".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.