Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Geddel diz ser favorável a projeto que dá anistia à prática de caixa 2

Para o peemedebista, parece natural que se, houver uma nova regra tipificando o crime, quem praticou isso no passado não poderá ser penalizado.

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

20 de setembro de 2016 | 21h08

BRASÍLIA - O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, afirmou nesta terça-feira, 20, que o Palácio do Planalto não foi consultado sobre a tentativa de votar a anistia à prática do caixa 2, mas disse ser "pessoalmente" a favor da medida.

Para Geddel, se o Ministério Público Federal propôs um projeto para criminalizar o caixa 2, isso significa que esse tipo de prática não é considerado crime hoje em dia. Segundo o ministro, uma coisa é o político ser penalizado com base na legislação eleitoral e outra é o que vem acontecendo no âmbito da Operação Lava Jato, em que as condenações têm sido por corrupção e lavagem de dinheiro.

Para ele, parece natural que se, houver uma nova regra tipificando o crime de caixa 2, quem praticou isso no passado não poderá ser penalizado. "O Congresso tem que fazer essa discussão sem medo", defendeu.

Nesta segunda-feira, em uma tentativa atrapalhada, líderes de praticamente todos os grandes partidos tentaram articular a votação de uma proposta com esse fim. Foi colocado em pauta um projeto de 2007 sobre mudanças em regras eleitorais e uma emenda seria proposta para que houvesse anistia aos políticos que praticaram caixa 2 no passado.

Ninguém assumiu a autoria da proposta, mas as articulações da iniciativa teriam contado com o aval do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que está interinamente ocupando o cargo de presidente da República enquanto Michel Temer está nos Estados Unidos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.