Gays judeus pedem asilo para homossexuais palestinos no Brasil

O Grupo Gay da Bahia (GGB) e o Grupo de Gays, Lésbicas e Transgêneros Judeus do Brasil enviaram carta nesta sexta-feira ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo que o governo brasileiro ofereça asilo político a três palestinoshomossexuais presos recentemente por Israel sob a acusação de serem operários ilegais. Os três estariam sendo ameaçados de serem enviados para a Faixa de Gaza ou a Cisjordânia, territórios autônomos palestinos. Se issoocorrer os grupos gays brasileiros acham que os homossexuais correm risco de vida.Conforme o presidente do GGB, Marcelo Cerqueira, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso ofereceu asilo político a uma mulher nigeriana acusada de cometer adultério, "nada mais justo que o novo governo tenha a mesma iniciativa humanitária em relação aos homossexuais palestinos". Cerqueira acha que "tal atitude demonstraria a boa vontade do novo governo brasileiro em relação à defesa dos direitos humanos das minorias sexuais." Os gays brasileiros afirmam que o apoio dos dois principais grupos homossexuais de Israel aos palestinos (Associação pelos Direitos Humanos de Israel e a Associação de Gays e Lésbicas de Israel) demonstraria que é possível a convivência pacífica e fraterna entre os dois povos em conflito. "E mais ainda, que ambos povos podem lutar juntos pelo respeito integral aos direitos humanos, inclusive o direito à livre orientação sexual", disse Cerqueira.A sugestão é que os três palestinos gays poderiam morar na Bahia sede do GGB ou em São Paulo onde fica a grupo de homossexuais judeus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.