Gays da Bahia também queimam documento do Vaticano

Representantes de vários grupos homossexuais do Estado, comandados pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), realizaram no final da tarde, em frente à Catedral Basílica de Salvador, seu protesto contra o documento do Vaticano que condena a união legal entre pessoas do mesmo sexo. Portando várias faixas e cartazes defendendo liberdade sexual e criticando a Igreja Católica, os gays queimaram uma cópia do documento do Vaticano.Muitos levaram apitos e sinetas que produziram um barulho ensurdecedor no Terreiro de Jesus, no centro histórico de Salvador, área onde a igreja costuma realizar procissões. Os gays também decidiram promover uma passeata em volta da praça onde se localizam três das mais belas igrejas baianas, a Catedral, a Igreja de São Pedro dos Clérigos e a Igreja de São Domingos. Em seguida, os trinta militantes homossexuais do ato passaram a gritar palavras de ordem, algumas ofensivas ao papa João Paulo II. No momento que a cópia do documento estava sendo queimada, eles rezaram o Pai Nosso em coro. Logo depois houve uma "sessão" de beijos para os fotógrafos que acompanhavam a movimentação. Panfletos explicando as razões do protesto e formulários de apostasia - para se requisitar o "desbatismo" nas arquidioceses - foram distribuídas aos turistas e trabalhadores que circulavam pelo local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.