Gautama é ''''inidônea'''', diz Controladoria de AL

A Controladoria-Geral do Estado (CGE) concluiu o relatório da auditoria realizada em contratos da Construtora Gautama com o governo de Alagoas e recomendou ao governador Teotônio Vilela Filho que a empresa seja declarada inidônea para firmar qualquer contrato com o Estado. A Gautama controlava pelo menos quatro grandes obras em Alagoas e, segundo a Polícia Federal, estava envolvida na máfia das obras públicas desbaratada na Operação Navalha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.