Gaúchos têm prestações de contas contestadas no TSE

Além dos deputados federais Manuela D''Ávila (PCdoB), Onix Lorenzoni (DEM), Renato Molling (PP), Osmar Terra (PMDB) e Darcísio Perondi (PMDB), que tiveram as suas prestações de contas contestadas por terem recebidos doações da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), outros oito deputados federais eleitos, um suplente e o senador Paulo Paim (PT) também estão com as prestações de contas de campanha questionadas pelo Ministério Público Eleitoral do Rio Grande do Sul (MPE-RS) junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

WÁLMARO PAZ, Agência Estado

14 de janeiro de 2011 | 18h43

Os recursos foram apresentados ao TSE contra decisões do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS), que aprovou as contas de campanha dos candidatos. Isso porque o TRE-RS considera que a proibição contida no dispositivo do artigo 24 da Lei das Eleições afeta apenas entidades de classe que recebem recursos públicos ou que mantêm contribuição compulsória, o que não seria o caso das instituições doadoras em cada processo.

Tudo o que sabemos sobre:
contasdeputadosRSdoação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.