Gastos com funcionalismo cresceram R$ 27 bilhões

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Martus Tavares, informou hoje que os gastos do governo com o funcionalismo público federal cresceram de R$ 37 bilhões, em 1995, para R$ 64 bilhões, em 2001. Segundo ele, o acréscimo de R$ 27 bilhões anuais à folha salarial, neste período, representa mais do que os gastos anuais do governo com a área de saúde (R$ 22 bilhões, neste ano) ou com educação (R$ 12 bilhões). Ele deu estas informações ao reforçar o argumento do presidente Fernando Henrique Cardoso de que o governo não só concedeu, desde 1995, um reajuste linear ao funcionalismo, como também reajustes diferenciados para diversas categorias.Segundo Fernando Henrique, a proposta de correção salarial do funcionalismo público, anunciada pelo presidente, será encaminhada ao Congresso em forma de projeto de lei. Ao anunciar o reajuste de salário do servidor público, o presidente disse que a possível greve geral anunciada para amanhã pelos funcionários públicos federais "não é problema dele. "Se acharem que o céu é o limite podem pedir mais", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.